Astrologia

O que nos espera na Era de Aquário?

publicado por

Há algum tempo, você vem ouvindo falar a respeito da Era de Aquário. Provavelmente, escutou opiniões que, a partir desta Era, seremos mais evoluídos, que a humanidade entrará em uma nova fase, que acabarão todos os problemas que nos assolam. Seria isto verdade? Além disso, quando, afinal, começaria a tão falada Era de Aquário? Vamos tentar responder a estas duas perguntas através deste artigo.

Antes, é necessário entender o que é uma ‘era’. O pólo celeste (extensão imaginária do pólo terrestre) executa um movimento circular, de leste para oeste, que leva 25.794 anos (este número ainda não é um consenso entre os estudiosos) para voltar ao ponto de onde saiu. À medida que vai descrevendo este movimento, há um deslocamento em relação à constelação que marca o equinócio de primavera no Hemisfério Norte. Assim, há cerca de 2 mil anos, era a constelação de Áries que inaugurava o equinócio de primavera. Agora é Peixes que está lá. Breve, será Aquário (note que o zodíaco é percorrido de trás para a frente). Astronomicamente, portanto, a primavera no Hemisfério Norte está se iniciando com a constelação de Peixes, embora astrologicamente o signo que represente a primavera continue a ser Áries.

Dividindo-se 25.794 anos por doze signos, podemos dizer que cada era astrológica duraria cerca de 2.149 anos. Agora vamos tentar responder à pergunta: a Era de Aquário já começou, e, se não, quanto tempo faltaria para ela começar? A resposta para esta pergunta é controversa. Há estudiosos que dizem que a Era de Aquário já começou, e outros acreditam que ela se iniciará daqui a cerca de 150 anos. Entretanto, embora haja discussões a respeito de quando a Era de Aquário irá de fato começar, a maioria dos astrólogos crê que estejamos em uma fase de transição entre a Era de Peixes e a de Aquário, ou seja, que ainda estejamos vivemos de acordo com todos os padrões da Era de Peixes, mas já mesclados com os desafios da próxima Era.

É necessário entender um pouco o que é cada Era para que possamos falar da do que significa esta transição, e para onde estamos indo. Cada Era costuma ter símbolos que atingem a máxima importância durante a sua vigência. Assim, por exemplo, durante a Era de Touro (aproximadamente, entre 4000 e 2000 anos antes de Cristo), o touro foi adorado no Egito, representado como o boi Ápis e como o culto ao minotauro (criatura com cabeça de Touro e corpo humano). Na Era seguinte, Áries, o cordeiro surgiu em inúmeras manifestações religiosas (como Amon-Rá, o deus com cabeça de cordeiro, ou o mito do velocino de ouro). E, na Era de Peixes, naturalmente o peixe se tornou o animal sagrado. Cada Era tem também seus ‘avatares’, que seriam figuras históricas que concentrariam todas as características que elas carregam. Moisés, por exemplo, que guiou o povo judeu através do deserto teria sido um avatar da Era de Áries, bem como Cristo teria sido um avatar da Era de Peixes.

Cada Era traz à tona todas as questões do signo que o representa, mas também do signo que se opõe a ele. Assim, por exemplo, a Era de Touro conheceu o represamento (Touro, signo do elemento Terra, relacionado a forma) das águas do Nilo (Escorpião, signo do elemento Água), e sabe-se que este fato teve fundamental importância no desenvolvimento da civilização egípcia. Foi nesta Era que surgiram as religiões ligadas à terra, e que o ser humano começou a se estabelecer, deixando de ser nômade. Conflitos de dominância e poder (típicos do eixo Touro e Escorpião) estiveram presentes durante toda esta Era.

A Era de Áries foi caracterizada por guerras, disputas e pelo surgimento de deuses mais masculinos (Áries é um signo de polaridade masculina), em oposição às deusas que predominavam até então. Nesta época também se desenvolveram a cultura e as artes (Libra, signo oposto a Áries), e surgiu o budismo, uma religião tipicamente libriana, por pregar o ‘caminho do meio’.

A Era de Peixes desloca a ação do Oriente para a Europa. O Cristianismo nasce junto com a Era de Peixes, e grande parte dos fatos estão relacionados com ele: desde a perseguição dos primeiros cristãos até o momento em que a Igreja Católica angaria um poder incalculável. Durante a Idade Média, a Igreja controla toda e qualquer forma de conhecimento, e seus preceitos exercem uma inflexível influência sobre as pessoas. É o auge da força da crença (Peixes), em que a ameaça não é tomar algo real da pessoa ou exercer outra forma de punição, e sim, condená-la a queimar eternamente no fogo do inferno (ativando a natureza impressionável inerente à Peixes). Porém, são os interesses mundanos (reflexos de Virgem, signo da Terra, de natureza material) que movem a venda de perdões (as chamadas ‘indulgências’) e outras benesses celestiais.

A Era de Peixes também conhece as cruzadas religiosas, as ‘guerras santas’, e, igualmente, o trabalho dos jesuítas na difusão da sua religião. Ela é marcada por por um intenso fervor religioso. A filosofia da Era de Peixes (ainda que muitas vezes aplicada de maneira inteiramente distorcida) é a necessidade de redenção, salvação, superação da matéria e devoção a um ideal. O signo de Virgem, oposto a Peixes, também se manifesta nesta Era, quando traz o desenvolvimento da ciência, bem como os subprodutos disso, como o racionalismo excessivo, o ceticismo e o descarte de qualquer coisa que não possa ser comprovada e classificada nos moldes conhecidos. Virgem é também o signo ligado ao corpo, ao orgânico, ao animal, ao vegetal, e nunca a Terra, como um grande organismo, é tão ameaçada, ao mesmo tempo em que nunca o ser humano vai tão longe em sua capacidade de desvendar meticulosamente (Virgem) como cada parte do mundo funciona. Virgem é também o signo da manipulação e intervenção, e a Era de Peixes traz uma possibilidade sem precedentes de modificação do ambiente físico. De muitas maneiras, utilizamos mal esta possibilidade, dizimando espécies animais e vegetais, poluindo o planeta, e também criando um estilo de vida desvinculado de ritmos naturais, em que o endeusamento do trabalho (um dos temas de Virgem) e da vida produtiva em excessivo (gerando doenças físicas e psicológicas). Por outro lado, desenvolvemos remédios e soluções inovadores. Criamos inventos que nos abriram possibilidades. Hoje nós temos inúmeros confortos e facilidades graças ao interesse virginiano por soluções práticas.

A era Peixes-Virgem contém uma profunda necessidade de significado, mesmo que, em muitos momentos, isto fique obliterado pela manipulação religiosa (Peixes) ou pelo materialismo (Virgem). Vivemos, no final da Era de Peixes, o chamado para a Era de Aquário. O desenvolvimento científico se acelera. Começam a surgir religiões e sistemas de crença mais baseados na força da mente e na crença de que também podemos ser deuses (um modo aquariano de pensar). Há um forte desejo por resolvermos nossas diferenças e sermos mais tolerantes e abertos, e por nos libertarmos de velhos condicionamentos que nos acompanham há milênios. Por outro lado, pensadores começam a imaginar um futuro feito por uma racionalidade tão fria que poderia simbolizar a ‘sombra’ de Aquário. Um mundo em que um sistema social fosse tão rigidamente organizado em prol do conjunto que chips fossem implantados no cérebro das pessoas, anulando suas vontades individuais e criatividade (as quais são simbolizadas pelo signo de Leão, oposto a Aquário). Um mundo com tanto poder de intervenção que praticamente poderíamos ‘fabricar’ um ser humano ao nosso gosto (com todos os perigos que isto embute). Um mundo em que a tecnologia (Aquário) fosse tão dominante que isto pudesse abrir espaço para terríveis formas de controle e centralização (reflexo de Leão), com a sufocação da liberdade (uma das necessidades aquarianas mais fortes).

Na realidade, em todas as Eras houve dificuldade em se equilibrar os dois signos envolvidos. A humanidade passou boa parte da Era de Peixes tendo sua capacidade de análise e discernimento (simbolizada por Virgem) bloqueada por crenças impostas de cima para baixo. Quando, a partir do século XIX, o espírito científico começou a se desenvolver, daí foi Virgem que assumiu a supremacia. Descartou-se tudo o que não se podia explicar e iniciou-se um período de excessiva racionalidade e fragmentação, que resultou no surgimento em massa de doenças emocionais decorrentes da falta de conexão com algo maior (por que você acha que tantas pessoas se drogam no mundo?).

A Era de Aquário não é, portanto, uma Era que automaticamente vai nos conduzir a fraternidade, a um entendimento extraordinário de quem somos e do que o mundo é, a uma nova forma de organização, a uma descoberta sem precedentes de nosso poder mental e a um uso adequado dele. E por que não? Porque Aquário não é um signo melhor do que Peixes, assim como Peixes não é melhor do que Áries, assim como nenhum signo é melhor do que outro. Em cada Era, nós temos escolhas a fazer. A tecnologia, principal promessa da Era de Aquário, tanto pode nos levar a uma separação do nosso lado instintivo, tornando tudo excessivamente lógico e frio, como pode ser tão aperfeiçoada que nos leve a sanar os problemas que até agora criamos com o uso dela. A penetrante mente aquariana tanto pode nos levar a finalmente rompermos com antigos comportamentos danosos quanto nos trazer agitação, alienação e rebelião, sintomas já presentes atualmente. A Era de Aquário será, sem dúvida, caracterizada por uma grande mudança em relação às outras Eras, porque isto faz parte do símbolo de Aquário. Mas isto nos levará a um mundo realmente melhor? Afinal, quem tem razão: os intelectuais que prevêem um mundo frio, excessivamente racional e controlado, ou os místicos que falam em uma era de amor?

O potencial da Era de Aquário seria para que nos víssemos como uma só raça (já que até agora nosso passatempo foi nos aniquilarmos mutuamente), e, a partir disso, nos uníssemos, sendo capazes, por esta razão, de avanços inimagináveis, e de criarmos um novo sistema de vida, que rompesse integralmente com o que de negativo vivemos até aqui. Uma Era de Aquário realmente avançada também não descartaria que viéssemos a realizar um intercâmbio com outros habitantes de outros planetas, seja através do desenvolvimento de tecnologias revolucionárias, seja porque finalmente estaríamos prontos para isto. Uma Era de Aquário ‘bem feita’ teria de ter presente os atributos positivos de Leão, como a valorização do indivíduo e da criatividade, do coração e do calor, para que a sociedade não se tornasse por demais fria, mecânica e lógica. O bem estar do indivíduo (Leão) teria de ser levado em consideração tanto quanto o bem estar do grupo (Aquário), pois um não pode predominar sobre o outro sem que isto gere desequilíbrios. Só que a Era de Aquário não vai trazer tudo isto ‘de bandeja’. Nós teremos de conquistar esta ‘promessa’ positiva que está embutida nela. Estaremos sendo chamados a escolher tanto quanto fomos em outras Eras. Por exemplo, a Era de Peixes poderia ter sido muito especial em termos de compaixão, abrandamento de nossas características mais destrutivas e agressivas, e não o foi. Ao invés disso, apareceu o lado negativo de Peixes, como a cegueira, a incompreensão e a histeria (as Santas Inquisições, por exemplo).

Você talvez se pergunte o que pode fazer, como indivíduo, para que possamos realmente começar uma nova Era, um novo tempo, transpondo para o coletivo o potencial que já existe em indivíduos mais evoluídos, mas que nunca existiu em escala maior. Simplesmente desenvolva o lado positivo de Aquário. Olhe mais para o coletivo. Interesse-se mais por ele. Não veja a sua vida como limitada apenas a sua casa e às pessoas próximas. Enquanto houver pessoas miseráveis e escravizadas no mundo mesmo o mais lindo recanto com a maior harmonia poderá ser atingido. Aquário quer dizer que todos somos um povo só. A hora em que nos virmos como o povo da Terra, que é por ela responsável, aí sim estaremos entrando em uma nova Era. Sem o desenvolvimento disso, a Era de Aquário será como todas as outras, até que resolvamos mudar. A escolha será de cada um de nós.

RSS Feed

Assine o RSS FEED e não perca nenhuma novidade do nosso site!
Você também pode receber as atualizações da semana assinando por email!

20 comentários: “O que nos espera na Era de Aquário?”


  1. marli aparecida de souza pupo diz:

    achei a explicação bem explicativa, bem elucidada parabéns pela resposta sobre o que é era de aquario não imaginaria resposta melhor parabéns


  2. LC Lacerda diz:

    É uma boa explicação, tanto para os já entendidos do assunto, como para os não entendidos. Nós de Aquário estamos no lugar certo e na Era certa. Abraços a todos!


  3. Fádia Rebouças diz:

    “A tecnologia, principal promessa da Era de Aquário, tanto pode nos levar a uma separação do nosso lado instintivo, tornando tudo excessivamente lógico e frio (…)”

    Muito bom o artigo! É este fragmento acima que me preocupa, como aquariana, inclusive com as relações interpessoais…


  4. Pedro Allan Portácio de Queiroz diz:

    Gostei do texto principalmente por fazer referência ao lado oposto do signo de cada Era, que até então eu não havia pensado e que, realmente, tem muita coerência levá-lo em consideração. No entanto, e quanto às quadraturas naturais que cada signo faz com outros dentro do horóscopo? Como podemos levá-los em questão, se é que podemos? Um exemplo: você falou da Era de Peixes (signo mutável) e seu oposto Virgem (também mutável), que fazem oposição e esse conflito esteve presente na história (como ainda está), porém, enquanto a quadratura que Peixes faz com Gêmeos e Sagitário? Como esses dois arquétipos estiveram conflitantes na Era de Peixes? Um abraço.


  5. Josy Rodriguez De França diz:

    Bem explicado, vc soube explicar bem o q é a ERA DE AQUARIO.
    PARABÉNS!!!


  6. vtuleski diz:

    Olá, Pedro. Parabéns pela observação. Sim, de fato todo o eixo tem que estar presente. Na Era de Peixes, Gêmeos e Sagitário aparecem de diversas maneiras. Primeiro, as navegações e o comércio se intensificaram, e, com isto, o intercâmbio entre diferentes lugares. Outro efeito nitidamente geminiano/sagitariano foi a circulação das informações, com as inevitáveis trocas culturais. Hoje, por exemplo, uma pessoa no Brasil pode comer com pauzinhos sem ter qualquer ascendência oriental. É bom lembrar, também, que no início da era de Peixes, o conhecimento era algo extremamente elitista. Ainda que, no mundo todo, haja um grande número de pessoas com baixo grau de escolaridade, também é verdade que, proporcionalmente, hoje muito mais gente tem acesso à cultura e informação do que na Antiguidade. E depois do advento da Internet, esta informação está disponível para qualquer um, e não mais guardada em bibliotecas, enciclopédias. O desenvolvimento dos meios de comunicação também foi incrível, com o surgimento da imprensa, jornal, rádio, televisão, etc. Toda esta rede de comunicação, impensável há dois mil anos atrás, e esta expansão cultural e de conceitos, deve-se à Gêmeos e Sagitário. Quase no fim da Era de Peixes, chegamos ao auge de tudo isto. Abraços, Vanessa.


  7. Jorge Uenoyama diz:

    Em primeiro lugar, obrigado por fornecer tais informações com tanta clareza.

    Com relação ao texto lido; eu só espero que a humanidade não torne o mundo um lugar tão difícil de se viver ao ponto de destruir a individualidade e expressão de cada um, de cada ser vivo deste mundo. Isso apenas agravaria todas as situações que estamos vivendo hoje a um ponto em que tudo explodiria no rosto da própria humanidade…resultando assim em total miséria, ou contrário do esplendor.

    Me parece que algo influencia a humanidade a tender para o lado negativo de cada Era. Não sei dizer se isso é de inteira responsabilidade de nossas escolhas ou se existe alguma influência astrológica embutida. Lembro-me sobre os Mayas e seu calendário…que diz que existem ciclos dentro de um grande ciclo e que o grande ciclo de negatividade dará início a uma nova grande era onde os aspectos positivos começariam a se manifestar.

    Vamos esperar…e rezar pela humanidade.


  8. Carolina Bernardes diz:

    Seu texto é exemplar. Primeira vez que leio uma avaliação da Era de Aquário com tamanha lucidez. Cheguei aqui para me informar sobre a tão falada Era, sem saber quase nada, e me surpreendi com o texto bem elaborado, sério e sem ceder às crenças de que a melhor das eras está para acontecer. Parabéns!!! Abraços


  9. venusaquario diz:

    Putz, até que enfim alguém soube explicar melhor o simbolismos de aquario, seu bem e mal, como qualquer outro signo, e, principalmente a simbologia dos opostos. Parabéns!!!


  10. Karen diz:

    Parabéns pelo texto.
    Realismo sem pessimismo!
    Obrigado por nos auxiliar com tua sabedoria!


  11. Marcia Tescarolo diz:

    Esclarecedor e realista. Parabéns pela forma de abordagem e clareza!


  12. ale diz:

    Gostei muito do texto e de seus esclarecimentos acerca da era de aquário. A única visão diferente que tenho, é sobre a ideia de que a ciência, ou seja, o conhecimento é frio. Penso que o conhecimento (ciência) é a grande porta de passagem para a libertação de conceitos instintivos (primitivos) e até dogmáticos (obediência cega ou manipulação das massas). Inclusive a compaixão, o senso de coletividade nascem do esclarecimento, do conhecimento que pode aqui ser traduzido tranquilamente como ciência. Sem ciência, que não tem nada de frieza, “acreditamos” que algo é assim e pronto. É vazio. É mistério da(s) divindade(s). Em relação ao Meio Ambiente, você preserva o que você não tem ciência da sua existência ou importância?


  13. leo panini diz:

    Olá, parabenizo você pela produção do texto. Gostaria de comentar que percebi que parte das eras puxou uma faceta má dos signos, e, como sou de Aquário, isso me preocupa, já que, muito embora os aquarianos sejam racionalmente avançados, além da tecnologia e da igualdade, fraternidade, liberdade, dentre tantos outros aspectos positivos, ainda há as partes ruins da personalidade aquariana, e se puxar para este lado, teremos uma sociedade tão racional que será emocionalmente “fria”. Ainda há o problema das drogas, das doenças mentais, como é o caso da depressão, mas o que mais me preocupa é o lado rebelde dos aquarianos, este lado que o faz se afastar do seu “eu” bom, anarquismo e vandalismo por exemplo, se distanciando da preocupação comum. Mas isto me faz pensar que REALMENTE JÁ ENTRAMOS NA ERA AQUÁRIO, já que estamos num período em que estão começando a ter manifestações por todo o mundo, não só no Brasil, além das explosões tecnológicas que já vêm ocorrendo, principalmente desde o ano 2000. Se pararmos para prestar a atenção no comportamento mundial, perceberemos que realmente já entramos nessa tão falada era que já vem sendo citada até mesmo por filósofos em seu leito de morte. Não podemos esquecer de falar dos famosos aquarianos que mudaram a história de países, um exemplo famoso é ninguém nada mais, nada menos, que Abraham Lincoln, que era aquariano. Nasci em 03/02/2000 e pretendo chegar a presidência do Brasil, e, assim como Abraham, pretendo entrar para mudar a história não somente do Brasil, mas também fazer uma mudança mundial.


  14. Missa diz:

    Muito bem. Trabalho sobre isso, o projecto mais ambicioso da minha vida é pensar sobre as eras astrológicas. Tenho descoberto chaves interpretativas e teria todo o gosto em falar consigo pois compreende muita coisa e procura a simplicidade profunda como eu (o email é obrigatório por isso estou disponível ;))

    Queria só dizer umas coisas: para mim a era de Aquário já começou. E todo o materialismo a que assistimos não se deve só a Virgem, ou não tanto a Virgem, mas a Touro, e a sua quadratura com Aquário. As quadraturas são pontos cegos, estruturas necessárias, mas contraditórias quando um dos lados se acentua ou ascende, como é o caso actual de Aquário. A liberdade humana, que nunca foi tao forte, afecta a estrutura da Terra porque exerce poder (Touro). O eixo da criação (Aquário-Leão) está muito entrosado com o eixo do poder (Touro-Escorpião) e juntos formam a cruz fixa e o que há de mais fixo no Universo. Ora, neste dinamismo da cruz que vivemos agora ainda no inicio, não temos noção do que a nossa criação afecta e exerce poder sobre o mundo. Sentimos que precisamos do poder para mostrarmos a nossa vontade criativa e não olhamos a meio. A economia já domina a politica faz tempo por isso mesmo. Na última era fixa, de Touro, através do poder se submetiam as vontades. Foi a era que desenvolveu a escravidão, e agora através da vontade submete se o poder na era de Aquário. Virgem também entra aqui e tem um papel muito importante na era de Aquário, mas não dá para se referir a isto agora. Bem diria muito mais agora, mas isso seria um livro, e não um comentário. Bem haja! Muita luz! Gostei 🙂


  15. Marcos diz:

    Parabéns pelo post, gostei muito. Eu nunca tinha associado essas eras à história da humanidade, mas faz muito sentido. E me dá esperança de um mundo melhor. Sou aquariano e reconheço bem as características que você citou do signo, inclusive as negativas. Acho que a racionalidade e espiritualidade não precisam estar separadas, elas são uma coisa só dentro de mim e espero que os aquarianos possam levar essas ideias para toda humanidade ao invés de implantar chips e querer controlar os pensamentos (mas também tenho receio que isto possa vir a acontecer). Enfim, me parece que o mundo precisa mesmo de mais fraternidade e racionalidade, e menos seitas dogmáticas como as que nos cercam atualmente.


  16. Aline diz:

    Simplesmente maravilhoso seu artigo!! Gratidão


  17. Gabriel Azevedo diz:

    Gostei muito do texto, é bem conciso e estruturado, parabéns. Só destacar que os gregos cristão usavam o símbolo do peixe pra simbolizar Jesus Cristo. Acredito que essa Era será marcada pelo Armagedom pra entrar de fato na era de Aquário, com a segunda vinda de Cristo.


  18. Pêdro Antônio Moreira diz:

    Sempre achei a Astrologia como folclore e adivinhação, mas depois de estudar civilizações antigas e lendo este belo texto de Vanessa já vejo esta ciência com bons olhos.
    Que venha a era de Aquário e saibamos aproveitar suas dádivas.


  19. vtuleski diz:

    Que bom que meu texto fez você ter outra impressão da Astrologia, Pêdro! 🙂 Fico feliz que tenha se aberto a esta possibilidade, pois nem todos dão uma chance de observarem algo sem fecharem antes 100% sua opinião a respeito. Abraço!


  20. Maria Candida Leite diz:

    Gostei muito deste seu trabalho e tal como tantas outras pessoas estou nesta altura a apreciar este tipo de informações….. Obrigada!

Deixe o seu comentário:

Vanessa Tuleski

Vanessa Tuleski iniciou seus estudos de astrologia em 1989, passando a atuar como astróloga profissional 7 anos depois. Dá consultas astrológicas no Rio de Janeiro ou através do Skype para outras cidades. Agende a sua consulta!

É palestrante do evento anual de previsões astrológicas Presságios (RJ), colabora com os sites Personare e Constelar. Membro do SINARJ, palestrou eventos para astrólogos promovido por este sindicato de 2012 a 2015.

Atenção: este site NÃO é destinado a consultas gratuitas. Para tirar dúvidas sobre o seu mapa, é necessário agendar uma consulta paga. Respeite o astrólogo como um profissional que estudou para realizar o seu trabalho e que precisa ser remunerado, assim como um médico, advogado e qualquer outra profissão. Agradecemos!

Mais sobre Vanessa Tuleski »

Vanessa Tuleski - (CC) Todos os Direitos Reservados - Produzido por ifly9
O conteúdo deste site de autoria de Vanessa Tuleski está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil. Nenhum conteúdo deste site pode ser copiado e reproduzido em outro site sem autorização do autor! Mais detalhes aqui!

Creative Commons License