“La la Land” reflete temáticas astrológicas de 2017

Por

Filme representa impactos que Júpiter em Libra terá na vida amorosa

Damien Chazelle, do intenso (e excelente) “Whiplash”, é o diretor de “La La Land”, o filme sucesso de crítica e público de 2017, que abocanhou 7 estatuetas do Globo de Ouro e concorre a 14 indicações para o Oscar. E isto porque é um musical, gênero que muita gente não aprecia. Particularmente, eu acho que é um musical comedido, em que as cenas de músicas se inserem bem entre a história e suas sequências. Nos musicais mais característicos, tudo pode ser motivo para uma dança e uma canção e este, definitivamente, não é o caso de “La La Land”. A música o enfeita, mas não é a sua motivação final, ela é sempre colocada com sensibilidade, a serviço da história.

Para a Astrologia, o filme remete ao trânsito de Júpiter em Libra (setembro de 2016 a outubro de 2017), pois é incrivelmente belo nos cenários, figurinos, ambientes, tem protagonistas bonitos (e com química entre seus atores) e, além de tudo, versa sobre um tema libriano por excelência: o amor e os relacionamentos.

O segundo tema também é libriano: a arte, pois os personagens são um músico e uma atriz, e a arte permeia o filme, seja na comentada cena de abertura ou na beleza e fluidez das cenas.

O personagem de Ryan Gosling sonha em ter um clube noturno em homenagem ao jazz.
O personagem de Ryan Gosling sonha em ter um clube noturno em homenagem ao jazz.

E o terceiro tema não é de Libra, mas do trânsito de Saturno em Sagitário (2015/2017): nossas aspirações (Sagitário), e o preço (Saturno) a ser pago por elas. Afinal, cada um dos protagonistas tem grandes sonhos (Saturno em Sagitário), e como realizá-los, especialmente em profissões que requerem muita fé (Sagitário) em si mesmo, pois podem demorar para dar resultados (ou nem dar)?

Estética dos anos 50, quando Netuno transitava por Libra.
Estética dos anos 50, quando Netuno transitava por Libra.

As três subtemáticas se entrelaçam em “La La Land”, um filme que fala de sonhos quanto de relacionamentos, e das duas coisas juntas: o quanto mutuamente podem se estimular ou se excluir. E é um filme que mexe com a sensibilidade e faz pensar. O sucesso dele não é à toa, além de ser muito bem feito.

Por isto, saí encantada do cinema e escrevi o artigo http://www.personare.com.br/la-la-land-reflete-tematicas-astrologicas-de-2017-m7597

Espero que você goste!

Ele serve também para quem ainda não viu o filme e, igualmente, para quem não pretende ver. 😉

Outros links sobre Júpiter em Libra, trânsito que vai mexer com relações desgastadas http://www.personare.com.br/astrologia-aponta-epoca-dificil-para-relacoes-desgastadas-m7540 , mas também dar início a novas relações (http://www.personare.com.br/jupiter-em-libra-aberta-temporada-para-o-amor-m7404).

1 comentário sobre ““La la Land” reflete temáticas astrológicas de 2017”

Vanessa Tuleski, parabéns. Olha, casualmente deparei-me com teu comentário sobre o filme, e sinceramente, senti um aperto no coração, porque é exatamente o que eu queria ouvir. Nos deste uma lição de sabedoria com as tuas palavras. Veja que pessoas comuns apenas “olham” filmes, já você os sente. Sobre uma obra de arte como “La, la, Land”, traçaste indelevelmente o sentido de “obra do destino” , justamente porque trouxeste para a luz os personagens. E os trouxe não com a vida de heróis e heroínas, mas, com a vida que está aí fora. Mais uma vez, parabéns. Deus te abençoe. Rubens.

Deixe um comenário