Orson Welles

Por

George Orson Welles nasceu, nos Estados Unidos, da união de um inventor e de uma talentosa pianista. Teve incentivo intelectual, mas uma infância difícil, sendo que uma das causas era o alcoolismo de seu pai. Também perdeu a mãe com 9 anos de idade, e, seis anos depois, morreu o pai. Em função destes fatores, Orson começou a trabalhar cedo, utilizando seu talento no rádio e também nos espetáculos da Broadway. Ficou mundialmente conhecido por ter protagonizado, em 1938, uma realista transmissão a respeito de uma invasão de marcianos na Terra, a qual levou centenas de pessoas ao pânico.

Aos 25 anos, ele fez o que seria a sua obra prima, Cidadão Kane, filme que ele coescreveu, produziu, dirigiu e atuou, de um modo original e inovador. ‘Cidadão Kane’ foi baseado na vida do magnata das comunicações William Randolph Hearst, um verdadeiro mito na época. Mas esta figura, curiosamente, realmente existe DENTRO do mapa de Orson Welles. A respeito de sua vida pessoal, sabe-se que ele teve um relacionamento tumultuoso e apaixonado com Rita Hayworth, e que as constantes infidelidades de Welles levaram ao rompimento. Orson foi um gênio, e fez muitas coisas antes dos 30 anos, contrariando o que acontece com a maioria das pessoas, que tem um amadurecimento profissional a partir desta idade. O que diz o mapa astral de Orson Welles a respeito dele mesmo?

Infância

Welles nasceu às 7h00 de uma terça feira, 6 de maio de 1915. Possivelmente, seu nascimento foi demorado e difícil, pois Saturno, planeta dos empecilhos e atrasos, nascia no horizonte junto com o bebê. Ao mesmo tempo, Júpiter em quadratura com o Ascendente é o atestado de que havia muitas e grandes expectativas em torno do nascimento do menino. Ele era uma espécie de promessa (Júpiter) em meio a circunstâncias de vida muito difíceis (Saturno conjunto a Plutão). Logo o mundo assistiria a violenta Revolução Russa, a Primeira Guerra Mundial e outros tantos acontecimentos, que faziam daquela época um momento um tanto sombrio, só superado pela Segunda Guerra Mundial.

O Saturno de Welles ascende e está conjunto a Plutão. Saturno é o símbolo dos pais e Plutão pode indicar a morte prematura deles. Porém, várias crianças nasceram com este aspecto e seus pais morreram velhinhos, por que não os pais de Orson? Por que um alto grau de dificuldade e tragédia entrava pela porta da frente da sua vida? Porque Saturno e Plutão estão no Ascendente do mapa de Welles, que simboliza a própria pessoa, de modo que, logo cedo, o destino se mostrou implacável (Plutão) e condições de vida muito difíceis (Saturno) se apresentaram, obrigando-o, certamente, a um amadurecimento precoce e a busca por controle em sua vida. O que aconteceu a ele pode ser comparado a algo como ser atirado ao mundo sem nada para proteger ou suavizar. Sem dúvida isto se cristalizou na personalidade de Welles de um modo muito profundo, sendo que suas fotos, especialmente na maturidade, parecem revelar isto através de um olhar intenso e perscrutador. Um olhar atento de quem precisa conhecer muito bem o mundo ao redor para sobreviver nele. Welles certamente não concebia este lugar como de facilidades, muito pelo contrário: estar vivo exigia persistência (Saturno), mesmo assim, poderia acontecer de se estar a mercê de fatores além do controle (Plutão), como a própria força do mercado do cinema.

No momento em que Orson nascia, Gêmeos ascendia no horizonte, indicando alguém que vinha comunicar algo no mundo, alguém cuja marca (Ascendente) era a sua própria expressão (Gêmeos), e que através dela intencionava provocar uma inquietação mental constante e questionadora. Orson fez isto através de seus filmes.

Carreira e ‘Cidadão Kane’

A atuação profissional de Welles passa através do signo de Aquário, que ocupa o ponto mais alto do mapa dele, conhecido como o Meio-do-Céu, e que seria o que a pessoa espera fazer no mundo. Com o inquieto Aquário neste ponto crucial, Welles esperava agitar, mexer com conceitos, trazer mudanças. O Meio-do-Céu em Aquário explica diversas coisas importantes sobre a atuação profissional de Welles. A primeira foi sua atração pelo rádio. O rádio é um meio de comunicação fortemente aquariano, uma vez que a comunicação se propaga por ondas. É também um meio um tanto transgressor, o que tem a ver com este signo. Welles teve uma extensa carreira no rádio, mas o episódio mais sensacional disso foi quando, em 1938, anunciou uma realista invasão de marcianos na Terra. Como conseguiu tal proeza? Novamente, temos de voltar ao Saturno de Welles: está em Gêmeos, trazendo um gosto pelo jornalismo, pela documentação, pelo fato. Welles, porém, nasceu com este planeta conjunto a Plutão, portanto conhecia o poder que os meios de comunicação podiam ter. Plutão está no início de Câncer, sendo que este poder, na concepção de Welles, causaria uma espécie de impacto emocional. Mas onde entram os extraterrestes nisso tudo?

Em quadratura com os dois planetas está Júpiter. Júpiter está associado a tudo o que é longe, distante, e, mesmo, estrangeiro. Welles enxergava os meios de comunicação como algo não só capaz de ter um poder emotivo sobre as pessoas (Plutão em Câncer) como também capaz de se esparramar, de ter um longo alcance, atingir audiências distantes. Na realidade, Welles tinha um certo fascínio sobre este alcance. E como Júpiter se encontrava no imaginativo Peixes, para Welles não seria incoerente narrar algo como uma invasão de marcianos e usando todo o aparato jornalístico de seu Saturno em Gêmeos. Porém, é Júpiter em Peixes na casa dez que deu a Welles a capacidade de mexer com a imaginação a ponto de tornar esta invasão plenamente real. Nos seus filmes, ele continuaria a utilizar esta capacidade de conciliar a imaginação e tornar o improvável em possível. A imaginação (Peixes) penetrando a razão (Gêmeos). Porém, é bom que se saiba o seguinte: pessoalmente Welles tinha um lado muito racional, devido ao Ascendente em Gêmeos e Saturno em próximo da linha ascendente. Mas seu sonho e o seu ideal estavam no plano imaginativo, plano este em que ele era capaz de convencer aos outros, mas talvez não inteiramente a si próprio. Ele ‘fabricava sonhos’, filmes, peças, mas sua vida pessoal continuava a ter o lado árduo de Saturno e o componente de destino e implacabilidade de Plutão.

Por que a carreira de Welles foi tão singular e sua obra teve um impacto tão profundamente inovador? Há que se saber que milhares de pessoas nasceram e nascem atualmente com o criativo e original Aquário no signo da carreira. Porém, no caso de Welles, este Aquário era regido por um Urano também em Aquário, que é o planeta da originalidade em seu próprio signo. Tal fato se repete a cada 84 anos, e, sendo que a última passagem de Urano por Aquário ocorreu entre 1995 e 2003.  No caso de Welles, Urano estava na casa nove, da visão de mundo: Welles era capaz de apresentar uma nova ótica, uma nova maneira de enxergar as coisas, e esta maneira era revolucionária, quebrava padrões. Aqui se soma o fato de que a Lua de Welles estava conjunta a Urano, e a Lua simboliza o sentir, de maneira que tudo o que Welles apresentava em seus filmes e peças era produto de uma profunda inquietação que ele mesmo vivenciava.

O fato de Urano, regente de Aquário no Meio-do-Céu, receber tantos aspectos indica que boa parte da vida de Welles passava dentro de seu trabalho, e, ao mesmo tempo, sua obra refletia muito de sua própria vida e personalidade. Digamos que todo autor precise de subsídios autobiográficos, mas, no caso de Welles sua vida estava realmente entrelaçada com a sua obra, por vezes sendo uma coisa só. A ligação de Urano com a Lua de Welles sinaliza que boa parte de seus sentimentos estava refletida na reação emocional por vezes imprevisível de seus personagens. Porém, a Lua e Urano também entram em contato com o Sol e Mercúrio, símbolos do que uma pessoa é e da maneira como ela pensa, e isto também aparecia na obra de Welles, refletindo-se na forma de personagens sólidos, materialmente bem sucedidos, conservadores, que é o lado Sol em Touro de Welles, parte de si mesmo tanto quanto a sua postura inquieta e revolucionária (Lua/Urano em Aquário).

É muito importante observar, também, que a Lua e Urano de Welles fazem sextil com Vênus e Marte. O sextil é um aspecto considerado de inteligência, pois liga dos signos que são afins, mas que necessitam de alguma flexibilidade para estabelecer um contato. No caso, isto se manifestava com o fato de Welles realizar um trabalho instigante e questionador (Lua/Urano em Aquário), mas no qual ele conseguia encontrar uma certa agilidade ou elemento de ação (Marte) somada a uma linguagem estética (Vênus). Ou seja, são muitos os elementos que se agregaram para compor a sua obra. Digamos que de negativo no quadro profissional de Welles houvesse apenas um quincunce de Netuno enviado ao Meio-do-Céu, indicando que Orson algumas vezes se perdia.

O filme mais famoso de Welles, ‘Cidadão Kane’, está contido em seu mapa. A conjunção Saturno/Plutão simboliza a união do poder de autoridade (Saturno) com o poder do dinheiro (Plutão). Assim, não é apenas chegar a uma posição de destaque (Saturno), mas também ter um poder subterrâneo extra (Plutão) como suporte. Além disso, a figura da pessoa poderosa se mescla à grandiosidade e ao delírio, que é nada mais do Júpiter (planeta de tudo o que é grandioso) em Peixes em quadratura com Saturno e Plutão. Como se esta figura já poderosa fosse ‘agigantada’, e, talvez por isto mesmo, iniciasse sua derrocada, pois Júpiter pode indicar, também, a ambição desmedida e a mania de se enxergar tudo como um jogo. O fato de Welles ter escolhido uma figura poderosa especificamente da área de comunicação tem a ver com o Ascendente e Saturno em Gêmeos, signo, por excelência, da comunicação. Mas não passou despercebido a Welles o fato de a comunicação poder distorcer (Júpiter em Peixes, um signo que em sua expressão negativa produz ilusão ou distorção) e ter um inegável poder político (Plutão). Seja em sua obra ou em sua vida estes três planetas apareceram muitas vezes para Welles, na figura de uma autoridade (Saturno), investida de poderes (Plutão) ilimitados (Júpiter).

Júpiter na casa dez, inclusive, indica a atração de Welles por temas de natureza filosófica. Este Júpiter faz sextil com Sol e Mercúrio. Se, como foi dito, o sextil é um aspecto de inteligência, Orson tinha realmente muitos recursos mentais. Neste caso em particular vemos não tanto a porção artística de Orson, mas o fato de conseguir viabilizar seus filmes e ter talento para os negócios. Porém, com Netuno na casa dois, imaginamos que as finanças pessoais de Orson fossem um tanto desorganizadas. Além disso, a Lua rege esta casa e está conjunta ao errático Urano: os ganhos de Orson possivelmente eram muito mais instáveis do que gostaria seu estável Sol em Touro.

Vida pessoal

Orson tinha a Lua em quadratura com o Sol, indicativo claro de conflito interno, no qual as suas emoções tinham uma natureza muito diferente de sua natureza essencial, o Sol. Em sua essência, com o Sol em Touro, Orson era leal, tinha uma personalidade sólida e bem definida, era uma pessoa prática e consciente da necessidade de se construir alguma coisa na vida. Mas, emocionalmente, era instável e tinha uma sede insaciável por liberdade. Entretanto, como taurino talvez pudesse cobrar algum compromisso das pessoas, quando ele mesmo, internamente, nunca sabia de que maneira poderiam estar suas emoções em um determinado dia. O contato Sol/Mercúrio em quadratura com Lua/Urano também fazia com que Orson tivesse um jeito excêntrico e uma mente que clareava tudo o que focalizasse, muitas vezes tendo vislumbres rápidos de uma determinada situação. Orson era, ao mesmo tempo, um rebelde e um inconformista, por conta do seu lado uraniano, mas também podia ter seus momentos de desconcertante conservadorismo. Certamente, não era uma pessoa fácil de se lidar, em vista desta natureza fortemente contraditória. E é possível que suas palavras (Mercúrio) não expressassem (quadratura, aspecto de conflito) o que Orson sentia (Lua).

Aliás, a diferença entre o Sol e a Lua de Orson está bastante ligada a própria diferença que havia entre seu pai e sua mãe. Seu pai era visto como uma pessoa mais simples, previsível. Como o Sol se encontra na casa onze, talvez um amigo ou alguém com quem ele podia lidar em um nível de igualdade. Já a mãe é percebida como uma pessoa muito criativa, imprevisível e instável. Sabemos que a mãe de Orson era talentosa, e, por certo, a maneira como ela se dedicou de maneira idealista ao talento dela marcou Orson por toda a sua vida. Também se vê nela um caráter ativo e afetuoso, por conta do sextil entre a Lua e Marte e Lua e Vênus. Mas era um afeto mais como uma forma de amizade. Possivelmente, ela tinha um comportamento mais liberal e era diferente das mães do seu tempo. Além disso, o afeto de uma Vênus em Áries está mais próximo de um incentivo entusiástico do que realmente de uma proteção sentimental. Assim, o lado liberal e independente da personalidade de Orson pode ser visto como uma herança materna, enquanto o seu lado mais conservador, e até material, seria uma herança do pai. Orson via o pai como uma pessoa anticonvencional, que não se fixava na vida, embora desejasse estabilidade e sucesso financeiro (Sol em Touro em quadratura com Urano). Orson também via o pai como um sujeito de visão, pois o Sol está em sextil com Júpiter. Possivelmente, foi o pai quem mostrou alguns horizontes para ele. Um dos dois pais disse a Orson que ele poderia ser grande (Júpiter) e que ele deveria buscar seus sonhos (Peixes). Ou então ele quis que os pais tivessem dito isto.

Orson era uma pessoa que adorava começar projetos. Tinha Áries na casa dos projetos com Vênus e Marte nesta casa. Era o que mantinha a excitação de Orson, o deixava vivo. Com Marte em Áries, ele tinha muita energia, e quando gostava de fazer algo, possivelmente seu entusiasmo assumia a urgência de uma febre. Afetivamente, se passava a mesma coisa: Orson se entusiasmava com o amor. Como conhecia muitas pessoas, por mais comprometido que estivesse, talvez não resistisse a conquistar uma nova amiga. Misturava um jeito masculino e conquistador (Marte em Áries) a uma certa sedução (Vênus), mas na conquista era essencialmente uma pessoa sem paciência para longos cortejos, queria um resultado mais rápido e imediato, a não ser que alguém realmente o interessasse muito (daí mobilizando a energia paciente de seu Sol em Touro).

A Lua em Aquário e conjunta a Urano não permitia que Orson firmasse laços muitos estáveis. Tudo podia ser muito excitante e intenso, mas Orson precisava de muita liberdade e era impulsivo. Uma vez que se apaixonasse por alguém aquilo se tornava urgente em sua vida, mas o fogo se consome muito rapidamente e é possível que ele não tivesse muita paciência para manter um amor com tudo o que ele exige. A mulher ideal para Orson teria de ser tão inventiva, imprevisível, ativa e aventureira quanto ele mesmo. E que não tivesse muitas exigências emocionais, fosse bem independente. Embora Orson tivesse certa quantidade de Água no mapa, o Ar predominava, fazendo dele uma pessoa mais mental e independente. Além disso, a presença de Saturno em Gêmeos no Ascendente fazia com que Orson pautasse sua vida por um lado muito mais racional do que emotivo. Porém, ele sabia que as camadas mais profundas de sua personalidade (Plutão) eram feitas de um material muito emotivo e até primitivo (Câncer), e ficavam logo abaixo da razão. Assim, por mais controlado que fosse seu comportamento externo (Saturno), os instintos emocionais (Plutão em Câncer) jaziam por debaixo de toda a fina casca da razão e do mundo das idéias.

Os elementos Terra e Fogo brigavam no mapa de Welles. Ele tinha muito idealismo, fazia muito as coisas por paixão, mas seu Sol em Touro também aspirava concretizar coisas e lidar bem com o mundo concreto. Além disso, Saturno e Plutão no Ascendente faziam dele uma pessoa terrivelmente controladora e voltada para a realização.

Boa parte do mapa de Orson se encontra acima do horizonte. Isto significa que ele tinha uma imperiosa orientação para fazer coisas no mundo. Para ele, estar de bem consigo mesmo tinha a ver com todos os projetos e realizações ‘lá fora’. Também é um mapa com notável concentração de planetas do lado esquerdo, indicando uma pessoa que se auto-impulsionava. Não é de se admirar que ele tenha escrito, produzido, dirigido e atuado em seu filme mais famoso, ‘Cidadão Kane’.  Orson também tem o quadrante inferior direito do mapa inteiramente vazio: tinha certa dificuldade em participar da vida das pessoas em um nível mais íntimo e cotidiano. Estava sempre muito voltado para fora, e para seus próprios assuntos.

Antes de finalizar, uma última questão: por que uma parte substancial da carreira de Welles se desenvolveu antes dos trinta anos? Uma possível explicação é que Saturno ascendia no mapa de Orson. É um planeta que só volta a posição que ocupou anteriormente depois de cerca de 28/29 anos. Além disso, é um planeta que cobra uma realização no mundo. Orson tinha obsessão (Saturno/Plutão) por alcançar esta realização (Saturno), por fazer algo no mundo. Era, inclusive, implacável consigo mesmo neste ponto. Por isto que fez muitas coisas antes dos trinta anos. É possível que, mesmo tendo feito tudo o que fez, tenha, a vida toda, cobrado muito de si mesmo. Ele achava que tinha de fazer sempre mais e melhor (Saturno/Plutão em quadratura com Júpiter). Talvez uma só vida tenha sido pouco para tanta criatividade, paixão, urgência e inquietação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *