Saiba como funcionam os eclipses

Por

Fenômeno sinaliza acontecimentos inesperados e reviravoltas

eclipse2

Nas semanas próximas do eclipse podem haver mudanças interiores, mas sentiremos pouca clareza para tomar decisões, já que algo parece ainda eclipsado ou pouco claro. No entanto, acontecimentos podem ser precipitados, como um pedido de divórcio ou desejo de começos e novas etapas.

Também é preciso observar se há algum ponto importante do mapa até 3 graus do eclipse ou no signo oposto a ele. Nos próximos seis meses, mudanças, novidades, começos poderão ser ativados em relação ao planeta em questão.

Por exemplo,  Vênus a 12 graus de Leão, sendo que o eclipse cai a 11:37 deste signo. Até o próximo eclipse, poderão ser disparadas circunstâncias no âmbito afetivo que irão gerar questionamentos e/ou fatos novos em relação a amor, afeto e valores. 

Meio-do-Céu a 10 graus de Leão, sendo que o eclipse cai a 11:31 deste signo. Até o próximo eclipse, pode surgir um novo caminho profissional (Meio-do-céu), talvez uma proposta inesperada. Se a pessoa não estiver bem onde está, talvez ela seja demitida, peça demissão ou mude de setor.

Ocultação produz incertezas nas proximidades do eclipse

O eclipse mexe com a ordem natural das coisas. Quando a Lua era totalmente ocultada, por exemplo, provocava nos povos antigos um misto de angústia e curiosidade. O próprio ato de ocultar está ligado a um mistério. Assim, o significado primordial do eclipse é a incerteza. Tudo parece ficar incerto, em suspense, cerca de três semanas antes e depois do eclipse.

O eclipse também gera uma tensão inconsciente, até por juntar Sol e Lua, dois “planetas” essenciais na Astrologia. Em razão desta tensão, situações críticas têm mais chance de transbordar. Exemplo: em um relacionamento já com problemas, na época do eclipse pode ocorrer uma crise mais séria. É mais difícil manter a racionalidade (Sol) e o balanço emocional (Lua) neste período, que requer um esforço muito maior para se obter equilíbrio e raciocinar. Há uma forte tendência à precipitação, que pode gerar acontecimentos.

Exemplo: no eclipse de 26 de dezembro de 2019, Sol e Lua estavam conjuntos a Júpiter, o planeta do que é gigante, das fronteiras e das viagens. Poucos dias depois, as autoridades chinesas alertaram para o surgimento de uma série de casos de um tipo pneumonia de origem desconhecida em Wuhan: o Covid-19. A China é, certamente, um país que tem correlação com Júpiter, dado ao seu gigantismo e ao fato de que os produtos chineses se espalharam no mundo inteiro.

Outro exemplo: em 10/01/2020, ocorreu o primeiro dos seis eclipses de 2020, que envolveu Sol, Lua, Mercúrio, Saturno e Plutão. A atmosfera ficou bastante pesada e angustiante, efeito reverberado, posteriormente, às notícias do alastramento do coronavírus pelo mundo.

Período de seis meses sujeito a reviravoltas e descobertas

Como o próprio fenômeno simboliza algo incomum, o período do eclipse também tende a sinalizar acontecimentos inesperados e reviravoltas. As pessoas podem mudar de comportamento, situações podem se inverter, bem como pode haver descobertas. Especialmente se houver algum ponto ou planeta do Mapas Astral envolvido. Por isto, tende a ser uma fase de mexidas. E elas tendem a acontecer nos assuntos regidos pelos signos envolvidos com o eclipse e, no Mapa Astral da pessoa, pelas casas onde eles acontecem.

Eixo das Casas 1 e 7: o eu, começos, o outro, as parceiras, os relacionamentos.

Eixo das Casas 2 e 8: finanças, valores pessoais, transformações.

Eixo das Casas 3 e 9: comunicações, relações, estudos, necessidade de aprendizado e expansão.

Eixo das Casas 4 e 10: carreira, ambições, vida privada, família.

Eixo das Casas 5 e 11: amores, filhos, grupos, projetos para o futuro.

Eixo das Casas 6 e 12: saúde, trabalho, cotidiano, questões psicológicas

Como se preparar para um eclipse

Como o eclipse pode estar ligado a inícios de situações de crise, o fenômeno pode ser potencialmente complicado para circunstâncias que envolvam algum tipo de dependência e/ou situação que já possa transbordar.

Por isso, o período de um eclipse pede mais cuidado. Astrologicamente, sugere-se que comportamentos imprudentes sejam evitados, a menos que você tenha aquilo que se chama de plano de contingência para lidar com imprevistos se houver uma virada.

Devido ao aumento da tensão emocional, pode ser uma boa época para procurar por terapia e aconselhamento. No entanto, tudo é mais delicado, também. É como se o inconsciente estivesse em ebulição e as coisas não ficassem totalmente claras.

Diferenças entre eclipse lunar e solar

No eclipse lunar, a Lua é eclipsada. A Lua para a Astrologia tem a ver com o passado e com o sentido de segurança, é isto que fica mais precário nesta fase. As pessoas ficam com mais medo e mais reativas. Saber desta maior insegurança pode ser um importante diferencial para lidar com situações. O eclipse lunar também pode fazer as pessoas saírem da sua zona de segurança (Lua). Algo em que se apoiavam ou com o que contavam pode ser temporária ou definitivamente alterado.

Exemplo: a empregada da casa comunica que vai precisar pedir demissão porque quer morar com a filha em outro estado. Independente de como estava a relação, o sentido do habitual (Lua) é que está sendo mexido.

No eclipse solar, o Sol é que fica obscurecido. O Sol, na Astrologia, rege o futuro e o poder de escolha. A Lua se sobrepõe ao Sol, por isto eclipses solares podem trazer um retorno do passado. É possível que seja a volta de um antigo amor ou o retorno de algum hábito de outra época (positivo, como caminhar ou correr, ou negativo, como fumar). O ex-patrão pode fazer uma proposta de retorno. A pessoa pode resolver sair do aluguel e voltar a morar com os pais. Ou então até eventos menores, como possibilidade de retorno de um antigo amor.

Apesar de o eclipse ter uma atuação particularmente forte nas imediações da data em que ocorre, em Astrologia se diz que um eclipse ainda tem cerca de seis meses para se manifestar em pequenos ou grandes eventos, até que venha outro de mesma natureza (solar ou lunar), ocorrendo em novo grau, acionando a mesma casa ou não.

Alguns astrólogos também postulam que é preciso vir um eclipse de natureza idêntica ao anterior, o que pode aumentar o tempo de seis meses para até dois anos em alguns casos. Exemplo: se ocorreu um eclipse solar total, é preciso esperar por outro eclipse solar total. Exemplo: em agosto de 2017 ocorreu um eclipse solar total e só houve outro em meados de 2019.

6 comentários sobre “Saiba como funcionam os eclipses”

Vanessa! Obrigada!! Excelente explicação!!!

Muito obrigada pelos ensinamentos! Clareza e bom senso nos teus textos. Gratidão

Excelente material pra reflexão desse momento, gratidão Vanessa.

Eclipse de 12/07/18: grau 20 de câncer vai afetar meu eixo 3 e 9 e eu ainda tenho Marte no grau 23 de Câncer, rs. Obrigado Vanessa por orientar o como minorar toda essa pressão exercida por esse eclipse
Amei o artigo. bjuuus

Deixe um comenário