Sinastria – Parte 2

Por

O outro na sua vida e no seu mapa

Antes mesmo de você conhecer aquela pessoa que balançou o seu coração, você já formava uma ideia dela. Você já tinha desejos e expectativas, e só aconteceu de aquela pessoa te tocar porque de alguma maneira ela representava a chave desses segredos e expectativas.

O outro, aquela pessoa que irá nos preencher, já existe em você desde que você era um bebê. No início, você não tinha escolha: o outro era mesmo a sua mãe, que o alimentava e preenchia suas necessidades básicas. Surge um momento na vida da maioria das meninas em que o outro se torna o pai, figura que as encanta e na qual elas espelham como será o seu futuro marido.

Mais tarde o outro passa a ser personificado nas pessoas comuns da sua vida: em coleguinhas de infância, professores e professoras, e, já adolescente, em ídolos juvenis. Existe algo no mapa que aponte com precisão que tipo de pessoa queremos para nós?

Sim. Em primeiro lugar, o Sol e a Lua. O Sol e a Lua são as matrizes geradoras da personalidade. O Sol é o pai e a Lua é a mãe, e ao procurarmos a pessoa da nossa vida iremos querer encontrar algumas daquelas características primordiais que encontramos em nosso pai ou mãe, mesmo que não nos apercebamos disso. No caso do homem, ele irá procurar um princípio feminino na mulher semelhante ao da mãe.

Em segundo lugar, Vênus e Marte. Vênus como um modelo do que o feminino deve ser, e Marte como um modelo de um masculino deve ser. Ambos tem a ver com atração sexual. Por exemplo, por que um tipo misterioso pode ser atraente para uma mulher e não para outra? Por que uma mulher alegre e esportiva pode ser o tipo de um homem e não atrair outro? Porque a atração sexual é algo variado, e, nesse sentido, a preocupação excessiva em seguir um padrão psicológico pode anular características pessoais que poderiam ser muito apreciadas por uma outra pessoa.

Fora isso, Vênus, independente de o mapa pertencer a um homem ou mulher, mostra de que maneira a pessoa encara o amor. Deseja algo ardente, apaixonado, mas com um toque de independência? Uma paixão profunda e intensa? Você pode estar lidando com alguém que tenha Vênus em Escorpião. Vênus mostra o que está se esperando do amor, se estabilidade ou loucura, praticidade ou altos níveis de romantismo e idealização.

Também Marte não tem apenas a ver com o tipo que atrai uma mulher. Para ambos os sexos, Marte indica o tipo de energia que a pessoa tem, aquilo que ela faz de melhor e como pratica sexo. Por exemplo, há quem faça sexo de maneira impetuosa, enquanto outros são mais lentos e perceptivos, e outros ainda se amoldam a vários estilos e assim por diante. Há quem desenvolva muito as técnicas, e outros o instinto. Marte é importante porque se houver uma incompatibilidade nesse sentido haverá pouca atração sexual e talvez um não aprecie o estilo do outro.

Por fim, observa-se a sétima casa do Mapa Natal, que é exatamente oposta ao do Ascendente. Queremos alguém com tenhamos afinidades, mas também que nos ensine algo e nos complete. Assim, o intenso e profundo Ascendente em Escorpião estará a procura de um outro que traga segurança e estabilidade (Touro). O impetuoso Ascendente em Áries sairá atrás de uma pessoa mais conciliadora, que de alguma maneira, com o seu comportamento, o ensine a ser mais diplomático e equilibrado (Libra).

O regente do signo na sétima casa irá fornecer pistas adicionais sobre isso, formando um quadro completo e preciso do que a pessoa quer. Um exemplo? Se o regente da sétima casa cai na sua quinta casa, do divertimento, você espera alguém que ative esse setor da sua vida, que traga alegria e diversão, ou talvez filhos, um outro tema da quinta casa. Se cai na sua terceira casa, você quer alguém com quem compartilhar idéias e fazer viagens curtas. Na décima casa, você espera uma pessoa ambiciosa, que desenvolva a sua própria carreira e talvez incentive você também a realizar-se profissionalmente.

O conjunto de um mapa em comparação com o conjunto de outro

Quando um mapa será analisado individualmente, a primeira coisa que é feita é determinar as grandes tendências gerais de um mapa. Por exemplo, um mapa que tem oito dos dez planetas abaixo do horizonte está demarcando uma tendência muito clara neste setor, e por ter o hemisfério inferior tão enfatizado, isto gerará características particulares, como um alto grau de introspectividade.

Outro exemplo: um mapa tem uma grande quantidade de planetas em Terra. Isto é uma tendência que não pode ser ignorada. Na Sinastria, a primeira etapa é analisar como as grandes tendências de um mapa irão se combinar com as tendências de outro. Por exemplo, um tem o hemisfério superior cheio, e o outro tem o hemisfério inferior cheio. O do superior irá ensinar o do inferior a concretizar mais as coisas em um nível externo e o do inferior vai ensinar o do superior a se concentrar um pouco mais em si mesmo e na sua vida pessoal.

Por outro lado, algumas vezes uma pessoa se une a alguém que vai somar algo que ela já tem em excesso. Assim, duas pessoas com muito Fogo e pouca Terra serão um casal pouco prático. Um vai ficar esperando que o outro faça as coisas chatas da Terra (pouca Terra indica baixa praticidade) ou eles terão dificuldade em colocar os pés no chão. E então, como fica? O grande mérito da Sinastria é mostrar estas questões, explicá-las, para que um casal ou uma dupla entenda melhor suas semelhanças e diferenças.

Por exemplo, uma pessoa com muita Água pode se casar com alguém com muito Ar. São duas pessoas muito diferentes no que concerne a interpretar a vida. Porque a da Água vai interpretar tudo pelo sentimento, e do Ar tudo pela razão. Esta grande diferença entre elas pode uni-las ou separá-las. A pessoa da Água tanto pode aprender a se distanciar um pouco mais das coisas com a do Ar como ela pode se sentir ferida pela excessiva imparcialidade do Ar. Da mesma maneira, a pessoa do Ar pode se exasperar com o subjetivismo da Água ou aprender a lidar melhor com o terreno dos sentimentos.

A Sinastria serviria para diagnosticar estas questões e apontar idéias para um  relacionamento funcionar melhor.

O seu efeito sobre o outro e o efeito dele sobre você!

Um dos métodos mais simples de Sinastria, porém de grande efeito, é a colocação dos seus planetas no mapa da outra pessoa, e dos planetas dela no seu mapa. Essa colocação mostra áreas de influência. Por exemplo, se o seu Sol cai na décima primeira casa da outra pessoa, das amizades, acima de tudo ela te vê como um amigo, alguém capaz apoiá-la e ajudá-la como faria um amigo. E se o seu Sol cai na sexta casa dela, do trabalho e do dia-a-dia, a sua vitalidade e incentivo podem ajudá-la a desenvolver melhor o trabalho ou funcionar melhor em seu cotidiano.

Na técnica de colocação de planetas de um nas casas astrais do outro é possível mapear uma série de inter-influências. Por exemplo, na casa aonde cai o meu Saturno no seu mapa eu posso oprimi-lo tanto quanto ajudar você a se disciplinar melhor. Por exemplo, imagine que você não tenha nenhum planeta na segunda casa, do dinheiro. E imagine que você seja um grande gastador. O meu Saturno na sua segunda casa pode ajudá-lo a aprender a gerir melhor o seu dinheiro. Talvez você fique um pouco aborrecido com as minhas idéias de economia, mas que no final considere que realmente tinha algo a aprender sobre isso!

As casas vazias  ganham relevância quando são preenchidas pelo planeta do outro. Por exemplo, você não tem nenhum planeta na décima casa, da carreira, e um planeta meu cai justamente lá. Talvez eu o estimule bastante a você perceber seus objetivos de vida e a esfera profissional!

Algumas colocações são bastante harmoniosas. Por exemplo, se a sua Lua cai na minha primeira casa, do eu, eu sinto que você é capaz de me compreender e me apoiar emocionalmente. Outro exemplo, se o Marte de um homem cai na quinta casa de uma mulher, ela pode achá-lo viril e interessante. O mesmo ocorre se o Vênus dela cair na sétima casa dele: ela pode ser exatamente o tipo que ele procurava!

Os seus planetas em aspecto com os meus

Essa é uma das técnicas mais intuitivas da Sinastria: observar quais contatos existem entre os seus planetas e os meus. No artigo anterior ela foi comentada. Nesse caso, é como os planetas de um estivessem conversando com os do outro. Às vezes, mesmo que haja alguns contatos difíceis, certas interações que geram muita harmonia podem amenizar esses aspectos tensos, criando maior tolerância entre duas pessoas. Outras vezes, há poucos contatos difíceis, mas eles são bastante duros e os amenizadores são poucos, por isso pode haver maior dificuldade em se dar bem com aquela pessoa.

Juntando um mapa com o outro

Uma das técnicas mais instigantes da Sinastria chama-se Mapa Composto. O Mapa Composto é uma média do seu mapa com o da outra pessoa. Por exemplo, a média entre um Ascendente em Áries e um Ascendente em Gêmeos, é o signo que está no meio, Touro, por isso o Ascendente Composto será Touro. O Mapa Composto mostra como duas pessoas interagem juntas, ou seja como um casal.

A maneira de você entender como um Mapa Composto funciona é fácil. Imagine uma dupla musical ou um conjunto musical. Sozinho, um membro do conjunto produz um determinado tipo de música. Em conjunto, ele produz outro. Por exemplo, os Beatles eram algo quando estavam juntos. Seus integrantes, depois que se separaram, levaram uma herança dos Beatles, mas também passaram a criar estilos únicos e pessoais.

O Mapa Composto é o mapa do casal. Estuda-se esse Mapa Composto como um mapa qualquer, mas sempre tendo-se em vista que se está falando de um casal. Assim, se Júpiter, o planeta da prosperidade, estiver na décima casa do Mapa Composto, eles são visto como um casal de sucesso. Juntos eles são um sucesso. Se estiverem separados, talvez um se dê bem e outro não, ou talvez ambos se dêem bem ou mal, não importa.

Nesse sentido, o Mapa Composto pode localizar com muita facilidade áreas de harmonia e áreas mais críticas. Por exemplo, se você sabe que Plutão ocupa a quarta casa, da família, do Mapa Composto de vocês, tem conhecimento de que questões familiares devem ser tratadas com cuidado, pois pode haver um potencial inconsciente de desentendimento ali.

Se Vênus cai na segunda casa do Mapa Composto de vocês, ambos podem adorar aproveitar a vida, e isso pode gerar muita afinidade, mas também deve saber que ambos tenderão a ser indulgentes com as finanças como casal, e que talvez um dos dois devesse atuar com mais bom senso, para desfrutar do dinheiro sem torrar.

Mesmo os aspectos formados no Mapa Composto podem ser estudados como um mapa comum. Por exemplo, se a Lua e o Sol estão juntos no Mapa Composto é possível que vocês tenham muita facilidade em entender tanto as necessidades de afirmação (Sol) como as necessidades emocionais (Lua) um do outro. Eles também podem formar um casal bastante fechado em si mesmo.

A grande questão: é possível saber pela Sinastria se um irá se dar bem com o outro?

É possível detectar os grandes pontos de afinidade, mas o fato de você se dar bem com alguém não garante que você consiga superar problemas pessoais que atrapalhem o relacionamento. Por exemplo, a atriz Elizabeth Taylor casou-se duas vezes com Richard Burton e mais outras tantas com pessoas diferentes. Talve Richard Burton fosse o homem de sua vida, mas talvez existisse algo na personalidade dela que a impedisse de concretizar esse e outros relacionamentos. O próprio meio artístico pode ter colocado um empecilho adicional para isso. Uma união não está livre de influências.

Porém, com a Sinastria você pode determinar se há mais contatos e afinidades do que desarmonias e faltas de contato. Algumas pessoas têm a nítida sensação de terem se casado com a pessoa errada sem saber exatamente o porquê. Olhando os mapas, um astrólogo pode encontrar pouquíssimas afinidades e talvez alguns motivos para um relacionamento equivocado acontecer. Determinados trânsitos no mapa também podem beneficiar que enganos ocorram, do tipo relacionamentos relâmpagos ou aqueles em que um parece desconhecer quem era realmente o outro.

A função da Sinastria é verificar, sim, se há compatibilidade, e para isso existem vários métodos, já citados. Mas a principal função da Sinastria é a mesma de uma interpretação de um mapa natal: proporcionar autoconhecimento e reflexão como ponto de partida.

Não existe uma Sinastria igual a outra ou uma receita de Sinastria. A função da Sinastria é perceber que espécie de ligações há entre você e a outra pessoa, e o que vocês dois podem fazer para fortalecer e realizar um amor, uma amizade, um negócio ou uma parceria.

Poderá complementar este artigo a leitura dos artigos sobre Vênus e Marte.

2 comentários sobre “Sinastria – Parte 2”

Parabéns pelo texto elucidativo e bem escrito. Rodei muito a Internet para conseguir algo de qualidade para entender um pouco mais da Sinastria. Espero que continue com seu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *